terça-feira, 14 de novembro de 2017

PROCURANDO AS RESPOSTAS

É comum visitarmos o passado, tentando encontrar algumas respostas que possam justificar algumas de nossas falhas no presente. No entanto, o presente não tem as  respostas do passado, ele é as perguntas do futuro. Quando procuramos explicações para determinados momentos de nossas vidas, precisamos estar preparados para as mesmas, sem constrangimentos ou condenações, porque geralmente faríamos tudo diferente de hoje.
Mas isso é normal, se vemos alternativas diferentes, é porque superamos o tempo e aprendemos com ele, se hoje encontramos erros que atropelam a nossa vida, é possível encontrar a solução para corrigi-los. Nada nos impede de recomeçar, acontece que, da maneira que fizemos antes, continuamos fazendo hoje, ou seja, deixando para começar amanhã.
Recomeçar , é fazer o acabamento da obra, isso não envergonha nenhum artista do quadro chamado vida. Tantos e quantos retoques forem precisos, não mediremos esforços faze-los, porque em nosso constante aprendizado, é necessário fazer da vida uma obra de arte, e cada um de nós, tem que colocar a assinatura em nosso quadro, assumindo a autoria do mesmo.
Perguntamos o que fizemos de errado, para passarmos por isso, ou por aquilo, mas não gostamos de justificar o que fizemos ou deixamos de fazer. Pare, pare o tempo, e agora olhando atentamente o nosso filme, fica muito fácil encontrar algumas respostas, agora nós não queríamos isso, não faríamos como foi feito, essa pessoa não é a ideal, bem que me avisaram, aonde eu estava com a cabeça, e nessa hora aparece um olho mágico que consegue ver tudo perfeito.
Mas só agora que o filme está quase pronto, e o que nos impediu de ver isso antes? E aonde ficaram os momentos? as conquistas? E quem será a pessoa certa? Será que estamos preparados para todas as respostas?  Sabe por que pensamos temos a certeza que agora faríamos tudo direitinho e seríamos felizes? Simples, porque estamos vivendo o presente, já aprendemos mais, a vida exigiu mudanças, e ficamos entre a maré e o rochedo, e bate e rebate. nos envolve em instabilidades emocionais.
Vamos encontrar nossas respostas, nos projetando no futuro, porque no hoje, amanhã será passado, e não vamos conseguir mudar nada do que passou, mas podemos hoje com o que já aprendemos, montar uma estratégia para o futuro, e se depois a gente se arrepender, é porque aprendemos mais, e não é motivo para reclamar, é para comemorar, não o arrependimento, comemoraremos, a vida que vivemos mais.

Ass.  Maninho

PURA ILUSÃO, E AGORA?

 O nosso personagem morreu e agora somos nós mesmos. Por muito tempo estivemos representando um personagem de olhos vendados, agindo apenas pelo instinto e tentando encontrar nos outros o que possa suprir as nossas deficiências.
Não adianta nos colocar na condição de vítimas e propagar em todas as direções a nossa decepção, saímos do foco do ilusionista e e entramos em um delicado processo de auto crítica. na verdade também fazemos as nossas vítimas, porque raramente nos apresentamos de forma autêntica,e expomos apenas o melhor de nós.
Quando nos deparamos com a realidade das diferenças, torna-se mais fácil fazermos a nossa defesa de que querer dividir as responsabilidades. Muitos de nós somos artistas que não assinamos a nossa arte,e a incerteza que carregamos é a principal resposta para o sucesso ou fracasso de nossa galeria.
O mundo está divido entre os que se encontraram e os que estão a procura, e dentro desse parâmetro nem sempre estamos aptos a ver um quadro real, e assim iludimos e somos iludidos em uma proporção quase meio a meio. Pura ilusão, e agora o que fazer? Não é tão simples como pensamos, e talvez de forma inconveniente tenhamos criado o nosso próprio problema. Sera que as nossas conquistas não foram apressadas? Queríamos a nossa cara metade, e esquecemos de mostrar a nossa?  Sabemos cobrar, tentamos modificar as pessoas, e esquecemos de nos doar e procurar corrigir os hábitos que desagradam as pessoas.
Assim é complicado, afinal é dando que se recebe, e se impormos condições e não estivermos abertos para aceita-las, como poderemos afirmar que fomos iludidos? Esse é o momento para uma reflexão se correspondemos as expectativas. Precisamos ficar atentos quanto as nossas promessas, e termos sabedoria para lembrar aos que nos prometeram, A ilusão não precisa de apresentação, e não consegue se esconder por muito tempo, portanto não se iluda pensando que as pessoas são insensíveis, a realidade pode fazer chorar, mas a verdade vai fazer a consciência sorri.

Ass.  Maninho.
 


domingo, 11 de setembro de 2016

VISITANDO O PASSADO

      
Visitando o passado para me encontrar no futuro foi a minha melhor escolha, e quantas vezes na vida as pessoas precisão ter a coragem de voltar se realmente estiverem pensando em seguir. Esse tipo de volta em nenhum momento caracteriza retrocesso, Na verdade essa atitude é um risco necessário para o nosso progresso.
      O tempo é o maior encantamento de todos nós, e quando estamos visitando o passado, entramos em um mundo fantástico no qual nos vemos em um berçário múltiplo que aflora todos os momentos de nossa vida.
      Em uma bela manhã, quando o sol começa a despontar e cobrir a floresta com seus raios dourados, eu saí para ver a beleza do amanhecer. Sentei-me no chão e recostei-me no caule de um pé de acácia, e observava os pardais que dançavam e alimentavam um filhote da família.
       Olhei para a copa da árvore e vi um rouxinol construindo um ninho, o interessante é que ele voava a um ninho antigo entrava passava alguns segundos e depois saía e recolhia pequenos gravetos para a sua nova construção. Fez isso várias vezes, entendi que ele estava visitando o passado, e que por algum motivo o qual desconheço, visitando o passado encontrou motivação para o futuro.
       Mergulhe em um oceano de emoções, risos, lágrimas, infância, amores e desilusões, viva um mundo de contos e encantos visitando o passado.

Maninho.

   

domingo, 3 de abril de 2016

CONTOS E ENCANTOS: UMA PEDRA NO CAMINHO

CONTOS E ENCANTOS: UMA PEDRA NO CAMINHO: Era uma vez, um rapaz que reclama muito porque não tinha sorte, na opinião dele as outras pessoas sempre alcançava os objetivos sem muita...

UMA PEDRA NO CAMINHO

Era uma vez, um rapaz que reclama muito porque não tinha sorte, na opinião dele as outras pessoas sempre alcançava os objetivos sem muita dificuldade mas para ele tudo era quase impossível, e mesmo ouviu alguém falar que o que tiver de ser será.
Ainda estava dormindo, quando bateram em sua porta. Ele foi atender, e era um amigo avisando que estava havendo umas inscrições em uma multinacional, o salário era muito bom e além da ajuda de custo também pagavam a faculdade. E ele perguntou: São quantas vagas? E o rapaz respondeu que uma só, então é a sua, eu não tenho muita sorte, e já que me acordou, vou tomar banho no açude e no dia certo as coisas acontecem.
A caminho do açude esbravejava porque nada dava certo para ele, até uma oportunidade de emprego que surgia tinha de concorrer com outras pessoas. Entrou na água e mergulhou várias vezes e quando já estava de saída viu submersa uma pedra muito brilhante. Pensando que pudesse ser algum objeto de valor mergulhou para pegar. Mas antes de chegar até a pedra agarraram uma de suas pernas, e nadando apavorado conseguiu sair, mas em uma das pernas estava uma linda moça. ele alegrou-se e comentou: Não pensei que sereia existia. E a moça falou, sereias são mais bonitas e de formato diferente parece que nunca leu sobre elas.
E então que é você? Sou quem você vive falando que não existe,  a sorte. Até que emfim estou com sorte e vou pedir tudo que tenho direito.
Eu não sou o gênio para atender pedidos vou lhe dar algumas orientações e depois pare de falar de mim. Na volta para a sua casa vai encontrar uma enorme pedra no caminho, tão grande que será impossível remove-la, mas é preciso seguir e eu estarei por perto.
E no caminho que antes era plano agora existia um rochedo muito alto, o rapaz desacostumado a desafios chamou logo pela sorte e ela prontamente o atendeu. Moço, caminhe ao meu lado e vamos começar a subir ao chegarem na parte mais alta ele viu que a pedra estava dividida e antes de qualquer pergunta a sorte o jogou para baixo.
A poucos metros do chão um pássaro o segurou com enormes garras e com uma velocidade incrível iniciou um passeio. E em todos os lugares ele podia ver a luta das pessoas que queriam vencer na vida. Saindo de casa para o trabalho, do trabalho para colégios e faculdades, algumas enfrentando sol e chuva, coletivos lotados, trânsito lento, stress, poluição sonora, e outras até dormindo de tão cansadas que estavam, mas todas sem reclamar da sorte, convictas de que ela existe e serão recompensadas por todo esforço. Já próximo a casa onde morava, viu o amigo comemorando a vaga do emprego mais um que acreditou e conseguiu.
O pássaro o deixou no açude, a sorte o aguardava e lhe deu a oportunidade de ver a vida de forma diferente, Para conseguirmos nossos objetivos encontraremos muitas pedras em nosso caminho, algumas quebramos, outras removemos, e as maiores, exatamente elas exige de nós uma maior concentração de esforços, mas não será o tamanho das mesmas que nos faça desistir porque depois delas conseguiremos voar, e ver horizontes que  poderemos explorar, e as descobertas que faremos nos trará uma certeza, sempre haverá uma pedra no caminho, mas a sorte não vai abandonar a gente, acredite nela porque ela acredita em nós.

  Maninho.

CONTOS E ENCANTOS: Madrugada fria

CONTOS E ENCANTOS: Madrugada fria:         Madrugada fria, a rua parecia uma cidade fantasma e brisa que soprava varria o chão levando algumas folhas das árvores vizinhas. U...

Madrugada fria

   
   Madrugada fria, a rua parecia uma cidade fantasma e brisa que soprava varria o chão levando algumas folhas das árvores vizinhas. Um barquinho de papel deslizava na correnteza do acostamento e talvez fosse uma mensagem de um casal apaixonado, ou apenas carregava lembranças e sonhos.

     Uma mariposa encantada pelo claro da lua voava lentamente. Começou a chover,  e as sombras que o vento fazia ao balançar as árvores misturavam-se aos reflexos das gotas que caíam nas poças de água deixada pela chuva. Relâmpagos cortam o céu e um raio deixou a pequena rua no escuro, em algum quarto iluminado por uma vela uma moça ler o romance Cem anos de solidão, de Gabriel García Márquez.
    A madrugada fria não permitiu que aquela jovem dormisse, lembranças invadiram seus pensamentos e procurou na leitura de um excelente romance amenizar a angústia que lhe atormentava. Mas não era a única por uma desilusão, na rua um fantasma vagava junto ao frio, e sem saber em qual dimensão estava, procurava seu lar e suas pessoas amadas. tendo como companhia apenas o silêncio e a madrugada fria.
     É difícil entender ou aceitar que mesmo vivendo, em alguns momentos de nossas vidas somos apenas fantasmas errantes em uma procurar incessante. Quanta vezes ficamos invisíveis aos olhos dos que não querem nos ver, ou cegos para não ver quantos momentos maravilhosos a vida nos oferece, e simplesmente ignoramos o brilho do sol, para olhar pela janela a chuva que cai em uma madrugada fria.
     Não estamos sós, e mesmo em dimensões superiores alguém nos procura pela lembrança do convívio e a falta que fazemos, a moça do livro nem está sabendo que do outro lado da janela alguém a procura, mas agora esse encontro já não é nais possível. Tão perto e tão distante, é uma ironia do destino, mas isso acontece com muita gente que no mesmo espaço, sob o mesmo teto e até no mesmo leito ficam de costas, e depois quando chegar a madrugada fria, é que sabemos que éramos felizes.

Maninho.
     

domingo, 27 de março de 2016

CONTOS E ENCANTOS: Avanço tecnológico

CONTOS E ENCANTOS: Avanço tecnológico:      Avanço tecnológico em alguns casos está sendo tratado de forma inadequada, e algumas pessoas estão tentando associar um tipo de evo...

Avanço tecnológico

   
 Avanço tecnológico em alguns casos está sendo tratado de forma inadequada, e algumas pessoas estão tentando associar um tipo de evolução da tecnologia, ao fim dos tempos. Sabemos que estudiosos e teólogos procuram decifrar vários enigmas que envolvem a humanidade e sua religiosidade.

     A divulgação de que em um futuro próximo as pessoas serão identificadas através da implantação de um chip, está sendo vista de forma assustadora  por muita gente. O avanço tecnológico é para facilitar a vida das pessoas, e divulgar que um chip tem uma ligação direta com o fim do mundo e que é a marca registrada de um determinado inimigo, é no mínimo intrigante.

     Ora, se falam em fazer o bem e amar ao próximo para conseguir a salvação, e as mesmas pessoas afirmam que quem portar um chip está do lado do inimigo, vejo nisso uma contradição, porque Deus não vai escolher os seus com um leitor eletrônico, seria algo desproporcional a todas as culturas de crenças ou religiões.
     Hoje já temos a biometria que beneficia com a sua praticidade, convenhamos que é muito mais prático cadastrar uma digital e usa-la em um leitor, de que portar documentos e lembrar de senhas eletrônicas. Não temos nenhum interesse particular e nem ganhamos nada para defender nenhum avanço tecnológico, apenas entendemos que é uma informação sem lógica atribuir a um chip, o valor do espírito.

     No mundo inteiro a internet é uma realidade, sites e livros digitais divulgam e aumentam os conhecimentos de fieis, e isso ninguém questiona ou condena. E agora quererem que as pessoas acreditem que podem ir para o inferno por causa de um chip, é demais.
     Existe um passagem bíblica, ( A sua fé lhe salvou). Tenha fé, esperança, e acredite que é possível amar de verdade, e ame,  durma em paz, porque nenhum chip vai lhe salvar ou lhe condenar.

     O mundo já está suficientemente delicado e confuso, ao invés de pregarem o medo, o ideal seria divulgar a esperança, e a fé.

Maninho.

   

terça-feira, 15 de março de 2016

CONTOS E ENCANTOS: Borboleta

CONTOS E ENCANTOS: Borboleta: No quintal, o pé de cajueiro com  alguns galhos secos contrasta com o verde escuro das folhas. Comecei a retirar o que aparentemente não...