terça-feira, 25 de março de 2014

ADMINISTRAR

Vamos escrever um pouco sobre a arte de administrar.Inicialmente falaremos de administração doméstica,a básica e fundamental para uma base de sustentáculo.Toda e qualquer administração precisa de um planejamento para que venha funcionar e mostrar um resultado com qualificação.Esse planejamento exige cautela,se não tiver um pequeno  estudo sobre o que queremos,não vai modificar em nada.
Administração doméstica aparentemente é fácil,engana-se quem pensar assim,a princípio deve acontecer uma reunião em família e colocar em pauta os assuntos apresentam claramente falta de controle.Iniciamos no primeiro quesito a renda familiar e em seguida todos os gastos mensais,se a soma dos gastos superarem a renda,o momento está crítico,e entram em ação os debates e as sugestões visando a princípio o equilíbrio,o que já não é muita coisa porque temos que contar com a imprevisibilidade.Primeiro procurar identificar os gastos supérfluos,e aí geralmente começa as divergências de opiniões,porque alguns discordam por entender que isso ou aquilo é necessário,o que vai prevalecer é o esclarecimento e o convencimento,e quem ficar vencido,não se intitule como perdedor e sim como colaborador.Quando elaboramos um plano para a solução de um problema, e esse plano é discutido e aprovado pela maioria,temos que dar um voto de credibilidade,e ficarmos acompanhando a execução do mesmo,para termos a certeza que a decisão tomada foi a mais correta,e se não acontecer o resultado previsto agendaremos uma nova reunião e debateremos nossa tese.
Na  administração doméstica,não temos os fantásticos motores de projeção gráfico,e portanto será um misto de conhecimento,e de necessidade de ajuste financeiro,tornando-se importante coletar o maior número de sugestões para que o debate tenha uma maior amplitude.Um detalhe importante,todo e qualquer planejamento,o sucesso do mesmo só acontecerá se houver monitoramento,e que as partes envolvidas tenham um comportamento adulto,porque independente de quem apresentou a melhor opção para a solução do problema,o resultado será coletivo,e ambas as partes precisam buscar melhorias,e trazerem novas ideias que venham inovar e fortalecer o mesmo.O ideal é trabalhar com uma margem de trinta por cento positivo,porque se vier a acontecer  os imprevistos,tem como segurar o impacto,sabemos que é uma margem alta,mas quando estamos em crise,temos que criar alternativas,e quase sempre com muita boa vontade e muita perseverança,conseguimos driblar o problema,é aconselhável não ter ato de consumismo,esperando acontecer uma melhor oportunidade.O sentido coletivo em que problema de um, é problema de todos tem mostrado grande eficiência junto as bases domésticas,não faz vergonha reconhecer um problema,vergonha é não tentar uma solução para ele.

Ass.  Maninho.
Postar um comentário