domingo, 18 de maio de 2014

Oi, deu quantos abraços hoje ou recebeu quantos, nenhum? Está falando sério? Como pode deixar isso acontecer, com tantas pessoas amigas, tantos parentes e familiares e ainda não sentiu a emoção de um abraço, o dia ainda não terminou. Quem está ao seu lado não merece? Quem sabe esse é o momento exato de iniciar uma nova amizade. Uma vez o escritor escreveu que para sermos felizes precisamos de três abraços diários.
Mas não vá sair abraçando todo mundo que encontrar pela frente, o abraço tem um sentimento de amizade, conquiste primeiro a amizade.
Em nossa vida os momentos são responsáveis pela parte evolutiva de nossa felicidade, e cada momento mesmo que sejam separados por segundos, são todos diferentes. Momentos é algo magnífico e ótimo para iniciar conversas e aproximações. Conte um conto diferente, os olhos brilharam de felicidade. Era uma vez, começamos geralmente assim. Era uma vez em uma fazenda de médio porte, uma ovelha era mãe pela primeira vez. Nasceram dois carneirinhos saudáveis, todos se alegraram com o acontecimento e até as crianças foram visitar os novatos. Aos poucos notaram que um deles era bem diferente dos demais, tinha uma cor azulada. Os dias foram passando e ele mais azul ficava, e começou a ser excluído do rebanho devido a sua cor diferente.
Atarde todos os carneirinhos se reuniam no pátio da fazenda para brincarem de cabeçadas, pulos, carreiras, coisas normais para eles, mas nenhum brincava com o azulzinho. Depois de alguns meses ele pela fazenda conversando com os animais da fazenda e do bosque, a procura de uma solução para o seu problema. Conversando com uma coruja ela disse: Veja o homem pintando aquele muro, o muro estava preto e agora está branco. o carneirinho começou a andar perto do homem, e sem hesitar pulou dentro do galão de tinta. Devido a química da tinta ele perdeu toda lã. Saiu avermelhado parecendo que estava despido, refugiou-se. A notícia circulou rapidinho e os filhotes de todos os animais saíram em sua procura, o encontraram debaixo de uma grande árvore.
O primeiro a tentar uma brincadeira foi o seu irmão dando uma cabeçada nele, e em seguida todos os outros deram a ele atenção total.
Com o tempo a lã nasceu novamente e bem mais azul, mas de que importava a cor agora se eles aprenderam que o mais importante era a amizade, e assim o azulzinho continuou feliz na fazenda.
Não exclua ninguém de seu ciclo pela aparência, a verdadeira amizade não tem cor, nem formato. Tem lealdade em todos os momentos, e os momentos são passageiros. Quantas vezes estamos tão perto e não vemos e nem sentimos, somos completamente  ou parcialmente insensíveis e só sentimos falta quando perdemos. e vemos a distancia e o destino no comando da situação, aí vem o lamento e a lembrança, mas eles são frágeis em relação aos outros.
Por isso viva o momento com amor e alegria, porque nas avenidas da vida não existem retornos,existem apenas atalhos com curvas sinuosas e com pouca iluminação.
Não troque a estrada segura pelo o atalho,poderá encontrar a beira do caminho, o lamento e a distancia, derrotados pelo destino e a lembrança, e deixados para traz sem nenhum sentimento de culpa ou de arrependimento, e talvez ainda comentem; Tiveram tudo mas não viram nada, podem reclamar.

Ass.  Maninho.