domingo, 16 de novembro de 2014

FORA DE CONTROLE

    Nosso computador entrou em pane, não realiza as tarefas, entra artigos indesejados, as planilhas desaparecem, e cria um grande problema na área de trabalho.  De imediato diagnosticamos, é um vírus. Começamos e encontrar os culpados, é gente querendo roubar nossos, o ante vírus deixou de funcionar, quem instalou os programas não salvou, e um leque de explicações aparecem para justificar o problema.
    Mas poucos usuários verificam suas responsabilidades diante do que aconteceu. Muita gente por curiosidade e falta de conhecimento, clica em aceitar alguns programas, sem ler na íntegra o conteúdo do mesmo, temos o hábito da pressa, existem pessoas que compram um produto eletrônico, e ligam e tentam usufruir do mesmo, sem antes  ler o manual de instruções, e quando dar algo errado culpam o fabricante ou o vendedor.
    Esse é um grande problema, estamos quase sempre procurando desculpas que justifiquem nossas falhas. E quando está tudo errado entramos em curto circuito e ficamos fora de controle, Em nosso computador, fazemos alguns ajustes, recorremos a net, e finalmente parece que está tudo resolvido.         Puro engano, quando estamos prontos para fazermos uma edição, surpresa, volta tudo e nos deixa fora de controle.
    Nosso sistema central não é muito diferente, também entramos em pane que dificulta realizarmos nossos projetos, falamos, falamos não, e também com a nossa pressa costumeira, e cometemos o mesmo erro em ralação a máquina, procuramos um culpado, porque detectar nossas deficiências parece ser muito difícil. E nem sempre lemos o grande manual da vida, fazemos, ou tentamos fazer do nosso jeito, sem imaginarmos que estamos colocando em risco o nosso programa pessoal.
    E começamos a encontrar qualquer culpado desde que não seja a gente, parece até que somos programados para não cometermos erros, e porque os outros podem sempre estarem errados, e nós com proteção total, e com um ante vírus infalível. Temos um programa para corrigir os outros, mas esquecemos de nos programar com um aplicativo auto corretivo, e devido a essa falha, muitas vezes ficamos fora de controle.
    Quando nosso computador para, temos a paciência para leva-lo a uma assistência e fazer com que ele volte a atividade, se temos essa paciência com uma máquina, porque não podemos adotar esse método com a máquina humana? Seria interessante pensar sobre isso, um pequeno reparo pode fazer a grande diferença, nem as máquinas são literalmente descartáveis, imaginem as pessoas, precisamos em algumas situações de ações que tenham caráter de aprendizado e crescimento, mas o nosso programa de aceitação, deve existir e de forma segura, para que ninguém descubra a senha que possa bloquear o mesmo.
    Vamos começar a ler o nosso manual, afinal, nosso sistema é complexo, e se não implantarmos um programa de aperfeiçoamento, poderemos ficar fora de controle.

    Ass  Maninho.


TORMENTAS E CALMARIAS

    Vamos construir um barco, não precisa ser grande, mas é preciso ser resistente. Ao colocarmos o nosso barco em alto mar, sabemos que não teremos maré mansa, sabemos que iremos navegar em águas rasas e calmas, mas também navegaremos em águas profundas e com fortes correntezas.
    Nosso barco precisa de forças nos remos e fé no destino, sem esses dois quesitos, naufragar será uma questão de tempo, porque o que não falta nesse mar, são as tormentas e as calmarias, elas são o equilíbrio que precisamos para chegarmos ao nosso ancoradouro. Nesse mar de vida, as vezes temos a impressão que tudo está calmo, e que ficará calmo por muito tempo, mas a aparência com os outros mares, é bem próxima, porque quando menos esperamos, uma grande onda se levanta e nos obriga a lutar contra ela, para não beijarmos a areia, e quando ela passa e quebra na praia, nos deliciamos com as espumas brancas que ela deixou.
    Remar é preciso, e remar com fé, porque só assim poderemos sobreviver as tormentas, e quando elas passarem respiraremos com tranquilidade. Vamos imaginar que estamos trabalhando fora do nosso estado de origem, e esse trabalho é uma oportunidade de afirmação pessoal e profissional, mas as regras do joga mudaram, e agora teremos de concorrer com outras pessoas em um grande desafio.      Não é apenas mais um, é um que talvez possa definir a nossa estabilidade, acontece que já esperávamos que a qualquer momento, fosse testada a nossa resistência.
    Mas temos um importante detalhe que nos favorece, quando tínhamos colocado nosso barco nas águas sabíamos que encontraríamos as dificuldades, e entramos nele fortalecidos pela força e pela a fé, e as tormentas viriam, mas elas também iriam passar, deixando as águas mansas para que a tranquilidade nos aliviasse.
    As tormentas passarão, mas se elas não existissem, não saberíamos a força que temos para velejar, superar as mesmas e chegar ao nosso destino. Ah, como é gratificante poder abrir os braços, sentir o frio da brisa tocar nosso corpo, os respingos das marés molhar nossa roupas, mas podermos gritar, consegui, e esse grito só acontece porque soubemos preparar nosso barco.

    Ass.  Maninho.

AS COLUNAS DO TEMPO


    Não se desespere, o tempo coloca tudo no seu lugar, ele é o nosso melhor aliado, e uma aliado igual ao tempo, não  existe, ele é o único com quem podemos sempre contar.Se hoje não está do jeito que a gente quer, paciência, o tempo sabe disso, ele pede que a gente espere só mais um pouquinho, enquanto ele encontra a solução. Mas não é aconselhável ficarmos parado esperando, se ele demorar vamos ao seu encontro.
    Mas não tente apressar o tempo, só vai complicar, no momento certo as coisas acontecem, e é quando menos esperamos, o importante é saber que se quisermos conseguir, teremos que manter a humildade e a perseverança, se ficarmos arrogantes, ou egoístas, iremos gradativamente nos distanciando nos nossos objetivos. o tempo é sábio, e vai nos permitir que os nossos desejos se realizem , mas isso vai acontecer quando estivermos preparados.
    Não podemos viver de pura ilusão, nem mergulharmos em desilusões profundas, talvez exista uma fórmula de equalização entre o que queremos e o que merecemos, por isso viver em harmonia, cultivar o amor, divulgar a paz, exercer o repeito, pode ser a aproximação entre nós e o tempo.
    As colunas do tempo são enormes e resistentes, e tudo passa entre elas, das bases ao topo tem um monitoramento vinte e quatro horas, nada acontece sem que haja registro, e assim a humanidade caminha por séculos e séculos, e o tempo fazendo a sua parte, consentindo, proibindo, ofertando, restringindo, mas sempre dentro do mais alto conceito vigilância, para que quando acontecerem mas devidas correções, nós sabermos porque aconteceu, e não tentar nos excluir, e dizer que o tempo foi injusto.
    Nossas vidas é um grande vídeo, e temos sempre a nossa disposição um retrovisor imaginário, se por acaso sofrermos injustiças, vamos recorrer ao nosso retrovisor, e visualizar se sempre fomos justos, ou se em algum momento, esquecemos a lei do retorno, e deixemos que os nossos desejos, fossem mais fortes de as nossas razões, e então quando o tempo equalizou nossas ações, existia uma dívida pendente.
    O nosso maior aliado não é vingativo, mas é justo, não sabemos ao certo porque passamos por determinadas situações, porque as vezes não sabemos nem ao certo quem somos, ou quem fomos, e descobrir a nossa verdadeira identidade, não é uma tarefa muito fácil. Pesquisar sobre nós, deixa uma estranha sensação de medo, parece que a ideia de descobrirmos que não somos o que queríamos ser, vai atrapalhar nossa evolução, quando na realidade a identificação exata do que somos, é a base ideal para o que pretendemos ser.
    Visite as colunas do tempo, e quando ele nos colocar frente a frente , será o ponto determinante para
entendermos o tempo e suas ações. Não podemos fugir das colunas do tempo, mais cedo ou mais tarde, ela nos colocará frente a frente, e com certeza, deixará tudo em seu devido lugar.

Ass.  Maninho.

O ENVIADO DE ÓRION 8

    Malin, você conhece muitas histórias? Pergunta uma das meninas, sim, eu já vi e ouvi muitas coisas, respondeu Malin. Conte para nós uma história de algum acontecimento com você, sabe meninas, algumas de minhas experiencias parecem parábolas, e com certeza muitas delas até hoje, ainda fico imaginando uma explicação lógica.
    As vezes estou bem perto de uma resposta, e em instantes seguintes me distancio, porque entender o que acontece aqui na terra, é sempre uma grande interrogação. Certa vez em uma manhã, eu passeava pela praia, e observava uma família que estava chegando na praia, uma garotinha correu no rumo de uma jangada, sob o olhar atento dos pais, eu me transformei em uma andorinha e voei próximo a ela. Ela correu tentando me pegar, e depois de algumas tentativas, permiti que ela me pagasse. Fiquei pensando, e se ela me machucar, porque ela me prendeu entre as mãos, de forma muito segura. E de repente ela começou a conversar comigo, umas dessas  conversas inocentes das crianças.
    Olha passarinho, vou lhe contar um segredo, vou confiar em você ta? A minha vontade de confirmar era imensa, não podia, porque iria assustá-la, e ela olhando para mim fixamente falou: Eu sonhei que meu passeio aqui na terra vai terminar hoje, e eu vou ter que voltar, eu  fiquei muito triste, e no sonho chorei muito, mas um senhor de cabelos longos passou a mão em minha cabeça, e disse: Não fique triste, um dia vocês vão se encontrar novamente, vão ficar separados por pouco tempo.
    Eu perguntei a ele, porque isso tinha que acontecer, porque eu queria ficar mais tempo aqui, mas ele respondeu, aqui é só um passeio, a as vezes fazemos viagens longas e curtas, mas temos que voltar, por isso que precisamos aproveitar ao máximo o nosso passeio, mas a nossa viagem está sendo gravada, não se perderá nenhum detalhe.
Seja feliz hoje, amanhã o passeio termina, faça algo de bom, para voltar feliz. Passarinho você estava voando tão pouco que eu pensei que você estava doente, mas você é só um filhotinho, já lhe informaram o dia que o seu passeio vai terminar? Não importa, continue voando e seja feliz hoje, antes que o passeio termine.
    A mãe a chamou, vamos entrar para o banho, e ao entrarem, minutos depois uma grande onda separou a garotinha dos pais, o desespero tomou conta da família, pessoas estranhas também tentavam encontrar a menina que desapareceu na onda, nada de positivo acontecia, lágrimas, tristeza, desespero, abatia a família. Eu ainda não havia presenciado uma cena tão forte, ainda voei na esperança de encontra-la, mas lembrei do segredo que ela revelou, o passeio acabava naquele dia.
    Nunca mais consegui esquecer a voz daquela garotinha, nem o desespero da família dela, mas o que mais me impressionou foi ela ter sido avisada, ela deveria ser muito especial para quem a queria de volta. e eu aprendi com ela, que temos que fazer o bem hoje, procurar ser feliz hoje, porque o passeio poderá acabar amanhã.

    Ass.  Maninho.