domingo, 16 de novembro de 2014

FORA DE CONTROLE

    Nosso computador entrou em pane, não realiza as tarefas, entra artigos indesejados, as planilhas desaparecem, e cria um grande problema na área de trabalho.  De imediato diagnosticamos, é um vírus. Começamos e encontrar os culpados, é gente querendo roubar nossos, o ante vírus deixou de funcionar, quem instalou os programas não salvou, e um leque de explicações aparecem para justificar o problema.
    Mas poucos usuários verificam suas responsabilidades diante do que aconteceu. Muita gente por curiosidade e falta de conhecimento, clica em aceitar alguns programas, sem ler na íntegra o conteúdo do mesmo, temos o hábito da pressa, existem pessoas que compram um produto eletrônico, e ligam e tentam usufruir do mesmo, sem antes  ler o manual de instruções, e quando dar algo errado culpam o fabricante ou o vendedor.
    Esse é um grande problema, estamos quase sempre procurando desculpas que justifiquem nossas falhas. E quando está tudo errado entramos em curto circuito e ficamos fora de controle, Em nosso computador, fazemos alguns ajustes, recorremos a net, e finalmente parece que está tudo resolvido.         Puro engano, quando estamos prontos para fazermos uma edição, surpresa, volta tudo e nos deixa fora de controle.
    Nosso sistema central não é muito diferente, também entramos em pane que dificulta realizarmos nossos projetos, falamos, falamos não, e também com a nossa pressa costumeira, e cometemos o mesmo erro em ralação a máquina, procuramos um culpado, porque detectar nossas deficiências parece ser muito difícil. E nem sempre lemos o grande manual da vida, fazemos, ou tentamos fazer do nosso jeito, sem imaginarmos que estamos colocando em risco o nosso programa pessoal.
    E começamos a encontrar qualquer culpado desde que não seja a gente, parece até que somos programados para não cometermos erros, e porque os outros podem sempre estarem errados, e nós com proteção total, e com um ante vírus infalível. Temos um programa para corrigir os outros, mas esquecemos de nos programar com um aplicativo auto corretivo, e devido a essa falha, muitas vezes ficamos fora de controle.
    Quando nosso computador para, temos a paciência para leva-lo a uma assistência e fazer com que ele volte a atividade, se temos essa paciência com uma máquina, porque não podemos adotar esse método com a máquina humana? Seria interessante pensar sobre isso, um pequeno reparo pode fazer a grande diferença, nem as máquinas são literalmente descartáveis, imaginem as pessoas, precisamos em algumas situações de ações que tenham caráter de aprendizado e crescimento, mas o nosso programa de aceitação, deve existir e de forma segura, para que ninguém descubra a senha que possa bloquear o mesmo.
    Vamos começar a ler o nosso manual, afinal, nosso sistema é complexo, e se não implantarmos um programa de aperfeiçoamento, poderemos ficar fora de controle.

    Ass  Maninho.


TORMENTAS E CALMARIAS

    Vamos construir um barco, não precisa ser grande, mas é preciso ser resistente. Ao colocarmos o nosso barco em alto mar, sabemos que não teremos maré mansa, sabemos que iremos navegar em águas rasas e calmas, mas também navegaremos em águas profundas e com fortes correntezas.
    Nosso barco precisa de forças nos remos e fé no destino, sem esses dois quesitos, naufragar será uma questão de tempo, porque o que não falta nesse mar, são as tormentas e as calmarias, elas são o equilíbrio que precisamos para chegarmos ao nosso ancoradouro. Nesse mar de vida, as vezes temos a impressão que tudo está calmo, e que ficará calmo por muito tempo, mas a aparência com os outros mares, é bem próxima, porque quando menos esperamos, uma grande onda se levanta e nos obriga a lutar contra ela, para não beijarmos a areia, e quando ela passa e quebra na praia, nos deliciamos com as espumas brancas que ela deixou.
    Remar é preciso, e remar com fé, porque só assim poderemos sobreviver as tormentas, e quando elas passarem respiraremos com tranquilidade. Vamos imaginar que estamos trabalhando fora do nosso estado de origem, e esse trabalho é uma oportunidade de afirmação pessoal e profissional, mas as regras do joga mudaram, e agora teremos de concorrer com outras pessoas em um grande desafio.      Não é apenas mais um, é um que talvez possa definir a nossa estabilidade, acontece que já esperávamos que a qualquer momento, fosse testada a nossa resistência.
    Mas temos um importante detalhe que nos favorece, quando tínhamos colocado nosso barco nas águas sabíamos que encontraríamos as dificuldades, e entramos nele fortalecidos pela força e pela a fé, e as tormentas viriam, mas elas também iriam passar, deixando as águas mansas para que a tranquilidade nos aliviasse.
    As tormentas passarão, mas se elas não existissem, não saberíamos a força que temos para velejar, superar as mesmas e chegar ao nosso destino. Ah, como é gratificante poder abrir os braços, sentir o frio da brisa tocar nosso corpo, os respingos das marés molhar nossa roupas, mas podermos gritar, consegui, e esse grito só acontece porque soubemos preparar nosso barco.

    Ass.  Maninho.

AS COLUNAS DO TEMPO


    Não se desespere, o tempo coloca tudo no seu lugar, ele é o nosso melhor aliado, e uma aliado igual ao tempo, não  existe, ele é o único com quem podemos sempre contar.Se hoje não está do jeito que a gente quer, paciência, o tempo sabe disso, ele pede que a gente espere só mais um pouquinho, enquanto ele encontra a solução. Mas não é aconselhável ficarmos parado esperando, se ele demorar vamos ao seu encontro.
    Mas não tente apressar o tempo, só vai complicar, no momento certo as coisas acontecem, e é quando menos esperamos, o importante é saber que se quisermos conseguir, teremos que manter a humildade e a perseverança, se ficarmos arrogantes, ou egoístas, iremos gradativamente nos distanciando nos nossos objetivos. o tempo é sábio, e vai nos permitir que os nossos desejos se realizem , mas isso vai acontecer quando estivermos preparados.
    Não podemos viver de pura ilusão, nem mergulharmos em desilusões profundas, talvez exista uma fórmula de equalização entre o que queremos e o que merecemos, por isso viver em harmonia, cultivar o amor, divulgar a paz, exercer o repeito, pode ser a aproximação entre nós e o tempo.
    As colunas do tempo são enormes e resistentes, e tudo passa entre elas, das bases ao topo tem um monitoramento vinte e quatro horas, nada acontece sem que haja registro, e assim a humanidade caminha por séculos e séculos, e o tempo fazendo a sua parte, consentindo, proibindo, ofertando, restringindo, mas sempre dentro do mais alto conceito vigilância, para que quando acontecerem mas devidas correções, nós sabermos porque aconteceu, e não tentar nos excluir, e dizer que o tempo foi injusto.
    Nossas vidas é um grande vídeo, e temos sempre a nossa disposição um retrovisor imaginário, se por acaso sofrermos injustiças, vamos recorrer ao nosso retrovisor, e visualizar se sempre fomos justos, ou se em algum momento, esquecemos a lei do retorno, e deixemos que os nossos desejos, fossem mais fortes de as nossas razões, e então quando o tempo equalizou nossas ações, existia uma dívida pendente.
    O nosso maior aliado não é vingativo, mas é justo, não sabemos ao certo porque passamos por determinadas situações, porque as vezes não sabemos nem ao certo quem somos, ou quem fomos, e descobrir a nossa verdadeira identidade, não é uma tarefa muito fácil. Pesquisar sobre nós, deixa uma estranha sensação de medo, parece que a ideia de descobrirmos que não somos o que queríamos ser, vai atrapalhar nossa evolução, quando na realidade a identificação exata do que somos, é a base ideal para o que pretendemos ser.
    Visite as colunas do tempo, e quando ele nos colocar frente a frente , será o ponto determinante para
entendermos o tempo e suas ações. Não podemos fugir das colunas do tempo, mais cedo ou mais tarde, ela nos colocará frente a frente, e com certeza, deixará tudo em seu devido lugar.

Ass.  Maninho.

O ENVIADO DE ÓRION 8

    Malin, você conhece muitas histórias? Pergunta uma das meninas, sim, eu já vi e ouvi muitas coisas, respondeu Malin. Conte para nós uma história de algum acontecimento com você, sabe meninas, algumas de minhas experiencias parecem parábolas, e com certeza muitas delas até hoje, ainda fico imaginando uma explicação lógica.
    As vezes estou bem perto de uma resposta, e em instantes seguintes me distancio, porque entender o que acontece aqui na terra, é sempre uma grande interrogação. Certa vez em uma manhã, eu passeava pela praia, e observava uma família que estava chegando na praia, uma garotinha correu no rumo de uma jangada, sob o olhar atento dos pais, eu me transformei em uma andorinha e voei próximo a ela. Ela correu tentando me pegar, e depois de algumas tentativas, permiti que ela me pagasse. Fiquei pensando, e se ela me machucar, porque ela me prendeu entre as mãos, de forma muito segura. E de repente ela começou a conversar comigo, umas dessas  conversas inocentes das crianças.
    Olha passarinho, vou lhe contar um segredo, vou confiar em você ta? A minha vontade de confirmar era imensa, não podia, porque iria assustá-la, e ela olhando para mim fixamente falou: Eu sonhei que meu passeio aqui na terra vai terminar hoje, e eu vou ter que voltar, eu  fiquei muito triste, e no sonho chorei muito, mas um senhor de cabelos longos passou a mão em minha cabeça, e disse: Não fique triste, um dia vocês vão se encontrar novamente, vão ficar separados por pouco tempo.
    Eu perguntei a ele, porque isso tinha que acontecer, porque eu queria ficar mais tempo aqui, mas ele respondeu, aqui é só um passeio, a as vezes fazemos viagens longas e curtas, mas temos que voltar, por isso que precisamos aproveitar ao máximo o nosso passeio, mas a nossa viagem está sendo gravada, não se perderá nenhum detalhe.
Seja feliz hoje, amanhã o passeio termina, faça algo de bom, para voltar feliz. Passarinho você estava voando tão pouco que eu pensei que você estava doente, mas você é só um filhotinho, já lhe informaram o dia que o seu passeio vai terminar? Não importa, continue voando e seja feliz hoje, antes que o passeio termine.
    A mãe a chamou, vamos entrar para o banho, e ao entrarem, minutos depois uma grande onda separou a garotinha dos pais, o desespero tomou conta da família, pessoas estranhas também tentavam encontrar a menina que desapareceu na onda, nada de positivo acontecia, lágrimas, tristeza, desespero, abatia a família. Eu ainda não havia presenciado uma cena tão forte, ainda voei na esperança de encontra-la, mas lembrei do segredo que ela revelou, o passeio acabava naquele dia.
    Nunca mais consegui esquecer a voz daquela garotinha, nem o desespero da família dela, mas o que mais me impressionou foi ela ter sido avisada, ela deveria ser muito especial para quem a queria de volta. e eu aprendi com ela, que temos que fazer o bem hoje, procurar ser feliz hoje, porque o passeio poderá acabar amanhã.

    Ass.  Maninho.

domingo, 2 de novembro de 2014

Milênios e milênios já passaram e a solidão continua sendo vista e tratada de forma injusta. A solidão é uma aliada e não uma inimiga, se tivermos a sabedoria para entende-la, veremos que ela é um doce para os dias amargos de nossas vidas.
Comparada a um punhal agudo, ela fere e faz doer muito, isso porque ainda não aprendemos a diferenciar entre a solidão,a tristeza, a saudade, ou até mesmo a angústia, e quando estamos carentes de amor ou uma companhia, nesse momento, em primeiro lugar surge o nome da doce solidão.
Precisamos ter frieza para entender, que a solidão é a base de uma futura felicidade, ela nos dá a oportunidade de ouvir o nosso eu, de forma ativa ou preventiva lhe mostrando seu caminho percorrido, ou seus futuros caminhos. Como pode ela ser tratada como se fosse uma vilã? Se ela se preocupa com todos nós.
Ela lhe magoa, lhe faz sofrer, seja por pouco ou muito tempo, mas que seja o suficiente para corrigir nosso comportamento, e que traduzam em sentimentos que promovam nossa felicidade. Todos nós precisamos da solidão, e feliz é quem a sente.
Quase todas as pessoas sentem medo dela, mas pela milenar insegurança, de que propriamente pelo perigo que ela possa  representar.
Em nossa evolução, ainda não entendemos a verdadeira mensagem passada por ela, doce solidão, precisamos dela sim, ela pode servir para filtrar, e reter o orgulho e o egoísmo, e nos preparar para uma vida nova.
Uma pedra em alto mar, parece solitária,mas não estar, junto a ela com certeza tem algum tipo de vida, a nossa solidão também não nos deixa, nos acompanha com muita coisa que não queremos, mas é essencial para ficarmos resistentes, e entendermos o porque dessa doce solidão.

Ass.  Maninho.

A MANINA E O ARTISTA

A arte da pintura continua sendo uma das maiores comunicações visuais, administrada e valorizada desde o princípio dos tempos, vem a cada dia mostrar que a pintura seja por pintores famosos ou anônimos, consagra a cada dia a arte da pintura.
Em um passado próximo era comum vermos os muros grafitados, o que para muitos não passava de riscos ou ou desenhos, era na realidade uma mensagem, na maioria de críticas e grande dificuldade de serem identificadas. Os artistas anônimos pegaram essa onda, devido tanta irritação que os grafiteiros geraram, surgiu algo novo e interessante, a pintura de grandes painéis. Utilizando espaços de paredes, muros ou viadutos, começaram a deixar suas mensagens em forma de pintura.
Pintura de variadas formas e tamanhos, com mensagens discretas ou diretas, mas em uma linguagem popular, embora em alguns casos não expressem de forma natural que sentimento exato que o quadro representa.
No quadro acima as vezes penso que a menina não está preocupada com nada, depois observo os olhos da mesma e a vejo mergulhada em sonhos ou interrogações. de olhar distante, parecer tentar entender porque está tão só.
Tenho quase certeza que o artista ver essa menina bem diferente da minha visão, porque é assim que acontece nessa arte, as vezes um quadro com um risco, vale milhões, dependendo da assinatura do autor, ou de um crítico de arte.
Assim como temos dificuldade de entender uma mensagem grafitada, torna-se difícil identificar o valor de uma arte, se não somos conhecedores do assunto.
 E me pergunto, será que quem assinou o quadro da menina no muro, se tivesse a oportunidade de estudar em uma escola de artes, possivelmente poderia ser uma revelação da arte moderna.
Assim é na lente de um fotógrafo que consegue em sua visão um ângulo perfeito, o pintor em sua arte, mostra uma  sensibilidade capaz de nos deixar confuso.
Em várias cidades do mundo inteiro, existirá sempre uma obra de arte capaz de promover um clique, e quantas pessoas passam em frente, sem tempo ou sem ideia da importância de cada quadro pintado.
Nem todos podem visitar as grandes galerias, mas muitos passam em frente a várias galerias, em que o artista deixou uma enorme contribuição para a arte.

Ass.  Maninho.

 



Brasileiros e brasileiras, gente forte tal qual a árvore que originou o nome desse país,talvez por merecimento ou reconhecimento, deveria ter o vermelho de suas sementes em algum espaço da bandeira nacional, não só representando o pau brasil, mas simbolizando o sangue derramado por essa gente, na construção desse gigante chamado Brasil.
Com certeza, da mais simples a mais sofisticada construção, a matéria prima mais importante não estava a venda nas lojas, o suor de nosso povo. Esse suor que está petrificado e nunca será demolido
Brasileiros da ginga da capoeira vindas de além mar, da força  do jangadeiro, que desliza sua jangada sobre as toras de madeira,para desbravar os verdes mares, enfrentando  as marés, o sol e o sal, brasileiros vaqueiro, com seu gibão de couro cru, riscados pelos espinhos nas caatingas, brasileiros do cangaço, e de suas diversificadas culturas, do tambor, da sanfona, do berimbau,todos emfim brasileiros culturais,independentes de regiões, representam em suas culturas belas páginas na história.
Brasileiras da mulher rendeira, de Maria Bonita, brasileiras dos canaviais, das lutas, brasileiras prendas do lar, de tantas e tantas outras funções sociais relevantes para mostrar esse Brasil forte.
País de profissões múltiplas, de potencial invejável, povo hospitaleiro, mas também guerreiro.
Falam que Deus é brasileiro, e deve ser mesmo, para dar a esse povo tanta força para suportar tantas adversidades, e saber administrar e nunca perder a esperança, que um dia sejam de verdade abençoados.
Brasil de riquezas naturais admiradas,mas também de riquezas exploradas sem um processo de acompanhamento mais rigoroso. Olhai o verde da bandeira, olhai as matas brasileiras devastadas, sofrendo com o desmatamento de forma irracional, com um programa de reflorestamento desproporcional  as agressões sofridas.
Olhai o azul de nossos lagos, lagoas, rios e riachos, estão desaparecendo, sufocados pelas construções irregulares, pelo desmatamento em sua orla, provocando grande prejuízo a fauna e a flora.
Brasil,olhai o branco da bandeira, o branco da paz, a paz que todos nós precisamos , paz para ir e vir, paz para trabalhar, passear, amar, estudar, ensinar, paz para viver, esse branco está ficando cinza, não deixem mudar a cor de nossa bandeira. Olhai o amarelo que representa nossas riquezas, e realmente tantas riquezas, distribuídas de de forma errada, as vezes até existe a boa vontade dos governantes, mas falham vergonhosamente no acompanhamento das aplicações das verbas, não basta divulgar quantos milhões foram aplicados em determinado setor, se não houver uma política ativa de fiscalização, estarão jogando o dinheiro público pelo ralo.
As famílias brasileiras, principalmente as de baixa renda, esperam que o estado tenha um programa com maior eficiência, elas não podem chegar até o planalto, mas os representantes do povo que lá estão, devem representar os interesses dessas famílias, de forma ética, eles precisam contar com elas para um novo pleito.
Bravo povo brasileiro, vamos continuar firme de esperança e de propósito, não vamos desistir de nossa luta por dias melhores, sejamos perseverante, esse é um país que vai para a frente, então marcharemos juntos, não somente para acompanhar, mas para lutar pelos nossos direitos, de forma ordeira, mas de uma maneira de não deixar dúvidas que sabemos o que queremos e merecemos, o crescimento e desenvolvimento de uma nação, depende diretamente das conscientização de seu povo. Hoje somos ranqueados em tempo real, não podemos aceitar  decisões que venham beneficiar somente a um determinado grupo,estamos em uma democracia,participe,lute,faça valer seu direito.

Ass.  Maninho,
Não precisamente que tenha sido por esse motivo, mas não descartamos a possibilidade , de que uma das maiores injustiças cometida pela humanidade, deva-se a um erro de interpretação. Quando anunciaram o nascimento de um novo rei, se apressaram em persegui-lo com tanta ira, que ficaram surdos, nem ouviram ela falar, que o reino dele não era desse mundo, e a continuação dessa história a maioria conhece.
Ora, se o reino dele não era desse mundo, e ele só pregava o amor e a igualdade, que ameaça ele podia trazer? Entre muitas interpretações, uma se destaca. É que ele com o seus ensinamentos, poderia tirar dos poderosos reis, a concentração do poder, esse era o motivo, porque em nenhum momento, ele demonstrou interesse pela prata ou pelo ouro.
Nota-se que interpretações apressadas, e com base de defesa de interesses próprios, já é uma prática antiga. Interpretações e questionamentos, continuam em atividade em todas as classes sociais, em que vão desde os tribunais, onde as leis são interpretadas com base em uma constituição, até as camadas mais simples, que costumar interpretar com emoção, e nem sempre com os princípios ou conhecimentos fundamentados na razão.
Uma sentença é decidida no resultado das interpretações,significando que, um mesmo processo, pode ter interpretações diferentes.
Interpretar, carece de conhecimento e lisura, promovendo uma decisão sem intenção beneficiária, caso contrário, fica estabelecida a falta de transparência.
Em interpretações teatrais, tem um script, e tem como objetivo passar uma mensagem, ou promover um entretenimento, já na vida real, é bem diferente, as interpretações não podem sofrer influências, para não provocar danos.
Portanto interprete não pensando em você, pense que muitos já sofreram e continuam sofrendo, por uma possível interpretação errada em um passado distante.

Ass.  Maninho.

,

COISAS DO DESTINO

O destino, acreditar ou não, não será nenhuma novidade. Porque existem os que não acreditam na existência divina, e mesmo assim devemos respeitar a opinião dos mesmos, para que tenhamos o direito de sermos respeitados também. Embora as evidências sejam claras, alguns querem provas maiores. Imaginem acreditar no destino, quando as Moiras, que na mitologia grega, eram as três irmãs que teciam o fio da vida, e que tinham o poder de tirarem ou acrescentarem qualquer coisa referente a vida, na época eram temidas e respeitadas, e ninguém questiona sobre o poder das mesmas.
Hoje já desenvolveram no campo das explicações, uma justificativa para quase tudo. Eu acredito no destino, e se você não acreditar, eu também acredito em você. Nem toda explicação convence, e temos a liberdade de escolha, e é normal escolhermos sem termos de nos preocupar com a opinião dos outros, porque se ficarmos pedindo opinião com frequência, isso diminuirá nossa personalidade, causando dependência.
Já ouvi de várias pessoas o seguinte: meu destino eu mesmo traço. E até certo ponto quem pensa assim pensa de forma correta, desde que o seu destino seja programado, em que possa escolher a companhia aérea, para qual cidade vai viajar, em que hotel vai ficar hospedado, e de quantos dias será a viagem, esse tipo de destino, você mesmo traça. E a turbulência, a falha na turbina, a aterrizagem forçada, você programa? Tem coisas boas, nessa viagem você fez uma compra em um centro comercial, e ganhou um cupom para concorrer ao sorteio de numa Ferrari, e ganhou com um cupom apenas, destino programado? Sim. Mas não por você, não vou afirmar que foram as Moiras que programaram, e é justamente por isso que eu acredito que o nosso destino nasce com a gente.
As vezes as pessoas se inspiram nas outras, se dedicam até mais ainda,e umas conseguem com naturalidade, e outras conseguem com o dobro do esforço,e nem sempre com a mesma qualidade.
Os fios da vida estão sendo traçados, por alguém que não lhe avisa, como nem quando será, que vai acontecer, é por isso que nunca estamos preparados.
Contribuir para um destino melhor é possível, quando e o tipo de destino que podemos escolher e programar, caso contrário, esteja na terra ou no ar, você estará por um fio,o fio que o destino teceu.
Pessoas que não lutam por objetivos, que desistem facilmente, que não acredita na possibilidade de vitória, porque alguém já tentou e fracassou, pessoas assim, costumam culpar o destino,e esquece que pode fazer sua escolha, mas culpar o destino para justificar possíveis fracassos, será mais fácil,o destino não vai poder se defender, ele existe, é notado, mas é invisível, e talvez nem se pronuncie, porque esse é o destino dessa pessoa.

 


Ass. Maninho.