sábado, 3 de janeiro de 2015

SÓ POR ALGUNS MINUTOS

          As comemorações para o fim de ano, é o assunto mais comentado no momento. Com qual roupa vai sair, o que vai comprar, ou aonde e com quem vai estar, isso é maravilhoso, essa energia que invade as pessoas, parecendo até que a data é responsável por tanta felicidade, mas por mais estranho que pareça ser, essa felicidade vem se acumulando pelo ano inteiro.
          A ansiedade para que os ponteiros se unifiquem e que os sinos iniciem as badaladas da meia noite, para que as pessoas possam festejar a chegada de mais um ano. Os fogos de artifício começam a colorir o firmamento, é um convite para olhar para o alto, mas o show não vai demorar muito. Em instantes as estrelas voltam a brilhar seguindo suas trajetórias naturais.
          É o show foi só por alguns minutos, assim iguais a tantas outras comemorações terminou. as pessoas aos poucos se voltam para outras atrações. Mas e você? Não está esquecendo de nada? É uma maravilha chegar ao fim de de mais um ano. ´Só por alguns minutos, mergulhe em você. Durante todo o ano, ou todos os anos, você comemora, rir, dança, canta, conseguiu conquistas, mas não se lembrou de agradecer. Sabe até as derrotas, se as olharmos com atenção, elas podem ser comemoradas, porque elas nos prepara para a vitória. Repouse em você, só por alguns minutos, e aquela bronca foi merecida, aquele abraço também foi. E se a bronca tiver vindo de quem lhe abraçou, duplique o agradecimento, porque quem ama corrige, orienta, acompanha, faz até chorar, para ver o sorriso no futuro.
         A família é o maior e melhor exemplo. Papai ou mamãe chamou para uma conversa séria, para não não se arrepender depois, escuta o que eles vão falar, pode até acontecer que já sejam conceitos superados, mas a preocupação e o amor é atual. A família, agradeça a ela e por ela, até o que parece ser injusto, depois que o tempo passa, a gente entende o porque das ações ou correções.
         Agradeça pela a sua vida, pela vida de alguém, agradeça pelo o lar, pelos amigos, pelo que conseguiu, mesmo que tenha sido pouco, mas foi uma conquista, agradeça por ela.
          Só por alguns minutos eleve seu pensamento, fale com o Deus que você acredita, diga que está agradecido por tudo, e peça para continuar merecendo a sua bondade, nem que seja só por alguns minutos, faça uma prece para seu inimigo, se por acaso tiver algum, peça felicidade para aquela pessoa que em um dia qualquer do ano, lhe aborreceu, agradeça por ter a coragem de fazer esse sacrifício, pedir o bem para quem lhe fez o mal, não se envergonhe por isso, nem precisa comentar com ninguém.
          Fale só com ele, não precisa nem falar, pense que ele lhe escuta, mas seja verdadeiro, porque ele sabe do seu coração, na hora de pedir e agradecer, nem que seja só por uns minutos,seja verdadeiro. Sabe é normal em fim de ano as pessoas ficarem mais emotivas, um telefonema, um abraço, são motivos de lágrimas, não é vergonhoso chorar, a lágrima é um sentimento puro, mergulhe em você, e se as lágrimas vierem, não importa, eleve os olhos para o firmamento, fale o que sente, agradeça por tudo, por tudo mesmo, faça as pazes com a paz.
        Não tem problema voltar para as comemorações, mas não esqueça de agradecer, e quando fizer, faça de de coração puro, nem que seja só por alguns minutos.
       

         Ass.  Maninho.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

NATUREZA E VIDA


 A humanidade que milhares de anos traz desconforto a natureza, ainda não entendeu o quanto ela é resistente, o que ela consegue construir em muitos anos, em poucos minutos é destruído e com uma naturalidade impressionante. Quantas árvores são mortas para abrigarem vidas, não paramos para pensar sobre os efeitos da causa, parece até uma forma egoísta de uma geração não se preocupa com a geração futura, as mudanças climáticas e suas influências no planeta, são decorrências de ações desastrosas da humanidade.
Essa guerra milenar, da humanidade contra o reino vegetal, continua sem uma explicação que convença. Sabemos que existem órgãos e pessoas lutando a favor dos vegetais, mas já estão quase perdendo as forças devido a desproporcionalidade existente nessa luta. Nós humanos com nossa inteligência progressiva, já poderíamos ter encontrado alternativas para diminuir a matança das árvores, e tentar com isso voltar o equilíbrio da natureza.
Observando a fotografia a direita, podemos imaginar o quanto essa árvore sofreu. Mas a natureza e a vida são parceiras eternas, por mais incrível que pareça, essa árvore morta abriga a vida para uma colmeia da jatai, nos mostrando que mesmo morta ainda promove a vida. Imaginem o tamanho que tinha essa árvore, e se vida tivesse, quantas espécias de abelhas e animais ela poderia abrigar, até quando precisaremos continuar com esse massacre? Quando será que as leis serão modificadas e aplicadas para que a natureza seja preservada? Toneladas e toneladas de árvores cortadas diariamente, desmatamento feito de forma irresponsável, e uma política de reflorestamento deficitária. Ingazeiras, marmeleiros, juremas, trapiás, pau pereiro, sabiá, pau ferro, pau branco, catingueira, mororó, juazeiro, e tantos outros não citados, que saíram  de suas florestas naturais, deixando de doar sombras, flores e frutos, para arderem em fornos industriais porque são de baixo custo.
Mas um dia o custo por falta de preservação, será muito alto. Natureza e vida, uma parceria ameaçada pelo brutal descontrole entre a humanidade e a natureza. Hoje vemos ninhos feitos em postes, em fios, em faixadas de lojas e residências, não pensem que os pássaros estão fugindo das matas para ficarem perto de nós, na realidade eles estão migrando para sobreviver, as matas estão acabando, ou melhor, estão acabando com as matas, a flora e a fauna estão em ameaças constantes, e agora? Quem vai lutar contra esse sistema insensível e capitalista? O guardião da floresta sozinho não vai conseguir.
A colmeia de jatai vai estar lá, até o dia em que aparecer alguém que pense que ela fez muito mel, e aí terminam de destruir o que aquela árvore ainda representa, a vida para aquela colmeia, aqui vai uma informação, não se desgastem tentando encontrar o mel, ela é um tipo de pouca produção, observe antes o tamanho dessas abelhinhas, imagine o quanto elas trabalham, a sorte que tiveram em encontrar vida em quem aparentemente estar morta, essa árvore, pode não ter raízes, galhos, folhas, flores e nem frutos, mas ainda tem vida, vida dentro dela, respeite seus últimos momentos, permita que a natureza e vida possam continuar essa parceria, e você com certeza estará contribuindo para um mundo melhor, provando que a humanidade, se quiser pode construir um mundo melhor.

Ass.  Maninho.

INIMIGO MEU

Inimigo meu, tenha medo sim, ele não apenas não estar por perto, ele está dentro de nós. Derrota-lo não é fácil mas é possível, sabe porque? É simples, temos todas as armas conosco, só precisa coragem e sabedoria para usa-las.
Se sabemos, que determinado comportamento atrapalha nossa vida profissional, você tem o inimigo, o comportamento inadequado, e você também tem a arma, a atitude. A falta de atitude, é um fator determinante para a derrota.
O mais intrigante é que na maioria casos conhecemos os pros e os contras, e perdemos para nós mesmos, por falta de atitude. Veja um exemplo: Eu sou um maratonista,mas também gosto de cantar, acontece que eu fumo dois maços de cigarros por dia, mas isso não afeta meu desempenho agora, quando começas a me ofender eu paro de fumar. Ei, não é tão fácil assim, parar de vez vai ser muito difícil, já que tem a consciência de que futuramente  isso vai lhe ofender, deveria começar agora, fumando menos dois cigarros por dia, e todo dia. Assim com certeza vai vencer essa dependência.
Eu sei, que a minha falta de pontualidade, e o difícil relacionamento no trabalho, estão tirando de mim as oportunidades de promoção, mas não consigo acordar mais cedo, nem ouvi isso. E o sonho de conseguir suas realizações pessoais, ficam aonde? Tome uma decisão, faça enquanto suas energias estão ativas, o tempo passa, e é natural que as energias diminuam gradativamente, assuma uma postura de quem quer vencer na vida, vai deixar o inimigo lhe vencer, lhe enfraquecendo com essa história de muito sono e pouca vontade? Você tem uma ferramenta que faz ele tremer, a decisão, decida a seu favor, se reforce com a atitude, e mande construir uma vitrine para expor as medalhas de suas conquistas.
Os estudiosos e pesquisadores, afirmam que somos o resultado do que pensamos, automaticamente se pensarmos com qualidade, seremos um produto de qualidade, nossos sonhos são um tipo de energia que nos movimenta, por isso devemos sonhar o melhor e com o melhor.
Destrua seu inimigo, ele está oculto, e só vai se pronunciar se der chance a ele, mas você, munido de energia, atitude, entusiasmo, dedicação, esperança, persistência, vontade, sabedoria, experiência, com todas essas ferramentas, ainda tem medo de ser vencido? Isso mesmo, tudo que queríamos ouvir, nada vai lhe deter em sua caminhada vitoriosa.
Algumas pessoas apenas esquecem que são possuidoras desse arsenal, e por alguns instantes desistem, precisa que alguém soe as trombetas e anuncie que é hora de acordar e ir a luta para vencer. Pense forte, pense alto, pense planejado, e saiba que que todos nós somos resultados do que pensamos, seu inimigo também pensa: Ele pensa que você vai parar de pensar, que vai se acomodar, e vai ficar na mesmice, consolide sua vitória, pense mais forte e mais alto ainda, enquanto você aumenta sua força, ele diminui a dele, não faça parte do filme ( vou deixar para depois) ele não ganhou nenhum Oscar, o elenco vencedor fizeram o filme, ( a hora é essa).
O tempo passa, as oportunidades passam, você passa, mas suas vitórias ficam na história, e se elas passarem serão de gerações em gerações.

Ass.  Maninho.

IGUAL OU DIFERENTE

A família é o primeiro bloco concretado para a nossa base de sustentáculo, e sabemos que é principalmente de pais e mães nossas maiores inspirações. E não adianta depois querer justificar que o pai ou a mãe é diretamente responsável, porque nem sempre os seguimos como referência.
Conheço pessoas que sofreram maus tratos nos tempos de criança, e isso foi justamente a motivação para conseguir vencer na vida, muitas pessoas decidiram que seriam extremamente diferentes, porque não podiam cometer as mesmas injustiças que sofreram.
Ser igual ou diferente, vai depender muito da personalidade de cada pessoa, a inspiração nos pais seja de forma pessoal ou profissional, traz uma referência sobre a admiração, mas também em alguns casos de negligências, muitas pessoas aprenderam com o sofrimento, que não é preciso seguir caminhos duvidosos.
A família é o primeiro berço, o mundo é o berço seguinte, e vencedores e vencedoras sempre abdicaram das desculpas e justificativas para seguirem seu próprio rumo. Não se espelhem em espelhos quebrados, porque eles não vão refletir com exatidão a luz suficiente para uma história de sucesso.
Lembramos que o seus atos poderão sofrer influências, e é importante deixar a razão falar mais alto que a emoção, aprenda com os erros e acertos, e não se prenda as derrotas e depois justificar que foi por essa ou aquela pessoa, vai chegar o momento em que as pessoas não  darão crédito as suas explicações.
Sermos igual ou diferente de nossa família, vai depender de cada um de nós, e na verdade é essencial que essa diferença seja por uma causa positiva, assim a cada mudança servirá de incentivo para as pessoas, com a certeza de que existem muitas histórias de início triste e final feliz,
Exija de você mesmo uma atitude, nunca acompanhe o bloco dos derrotados, o mapa da vitória está dentro de nós, e cada um de nós temos que identifica-lo e procurar transformas as adversidades em forças motivacionais, quem desejar cruzar a linha de chegada, não pode desistir no primeiro obstáculo, se cair, levante-se e saiba que terá de aumentar a velocidade, para recuperar o tempo que perdeu. A vitória é possível, principalmente para quem acredita nela.

Ass.  Maninho.

domingo, 28 de dezembro de 2014

AMOR E SOLIDÃO

É fim de tarde, os últimos raios solares se escondem atrás das montanhas, um sinal em que o dia está se despedindo, e a noite vai assumir seu posto. As estrelas tiraram uma folga, nenhuma a vista. A noite em tom cinza vai aos poucos se apresentando e mudando o clima. Uma pequena neblina começa a cair, e o vento frio vai entrando de mansinho no quarto, uma jovem vai até a janela e a abre por completo, quer sentir o ar tocando seu corpo e ver as luzes refletidas nas folhas molhadas, de uma árvore próximo a sua janela.
A neblina se transforma em chuva, e já não basta fechar a cortina porque o vento é forte demais. A chuva fica forte e ela precisou fechar a janela, em pouco tempo já era um temporal, ela observava pela vidraça os raios que cortavam o céu, e os trovões que faziam tremer o lustre do quarto. A árvore que antes era apenas tocada pelo vento, agora sofria com a sua força, o mesmo retorcia seus galhos sem a menor compaixão, parecia até que ela pedia socorro a Zeus, o Deus da chuva, pedindo para ela amenizar a tempestade.
A moça que antes admirava a chuva, agora também estava com medo e pedia a Deus para ela diminuir, e sem saber se seria atendida ou não, adormeceu. No dia seguinte, o sol foi se encontrar com as estrelas, não apareceu, e o dia ficou romântico e melancólico. Nesses dias assim a saudade e a solidão visitam muitas pessoas, e com essa jovem não foi diferente, recebeu a visita das duas.
Sozinha em seu quarto, pensava: De que adiantou tanto amor se não era verdadeiro, e agora estou aqui solitária, e vejo que nada valeu a pena, me doar, ouvir lindas promessas, e hoje só saudade e solidão, abri uma janela em meu coração, o amor entrou, brincou e foi embora, e nem sentiu minha falta.
Vou fechar a janela do meu coração e nunca mais vou permitir que ela possa se abrir novamente. A chuva voltou a cair, e ela pensou: Talvez a noite que passou queria me ensinar sobre a vida, a neblina se transformou em chuva e a chuva em tempestade, a princípio abri a janela para sentir o ar frio da chuva, e depois tive que fecha-la para me proteger, até a árvore que antes era só tranquilidade, sofreu muito com a força do vento.
Mas passou a tempestade, e agora eu e a árvore podemos estamos sem grandes perdas, sabe, ao invés de fechar a janela do meu coração, vou criar uma segunda janela, se um amor aventureiro entrar, e vasculhar o que deseja, vai sair, não vai saber que existe outra janela, mas se for um amor verdadeiro, vai ficar, vai me amar de verdade e me fazer feliz, aí então quem sabe ganhe o merecimento de conhecer e entrar na segunda janela.
O medo de amar, é a oportunidade que a solidão espera para casar com a gente, a queira só como conselheira e nunca uma parceira, o amor é o sentimento mais puro que existe, com a certeza de ele vive procurando alguém para fazer feliz, não vamos desistir de encontra-lo, se a solidão, a tristeza, baterem a sua porta, as receba, e as trate sem rejeição, porque o mor poderá está acompanhando as duas, e a grandeza de seu coração vai conquista-lo.
Se a solidão é um punhal agudo, o amor verdadeiro será seu escudo, e não sabemos quando ela vai chegar, só sabemos que quando ele chegar, poderemos dar adeus a solidão, mas sem esquecer que ela foi muito importante para os nossos momentos de reflexão, e que muitas as vezes ela chega para nos ensinar, e nos valorizar.

Ass.  Maninho.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

POR ONDE PASSAM OS SONHOS

Sonhar, talvez essa seja a condição mais relaxante para que possamos aliviar nossas tenções. O stress, as responsabilidades, os tantos problemas que enfrentamos, nos deixam muitas vezes com insônia, e se não quisermos acostumar o nosso organismo com remédios, com certeza podemos improvisar. Alertando que o ideal é procurar especialistas de área médica.
Feche os olhos e imagine ser, o que você gostaria de ser ou conseguir. Procure escutar somente o som de seus desejos, no sonho podemos ser tudo que queremos, e com uma grande vantagem,não pagamos nada por isso. Nossos sonhos passam por uma enorme janela, a janela da ilusão. E ao passar, a ilusão se encarrega de nos envolver em emoções.
Em ocasiões específicas, os sonhos passam por várias janelas, até nos deixar na dúvida entre o sonho e a realidade. Os sonhos passam pela da carência, da esperança, da desilusão, mas é na janela da ilusão que as emoções encontram o lugar certo para se estabelecer. A ilusão nos permite tudo em segundos, e nossos anseios geralmente são sobre o que queremos para conseguir a nossa felicidade, assim ninguém vai sonhar tristezas, vamos viver a felicidade.
O mundo imaginário vai nos realizar, e quando isso acontece, nosso corpo se liberta das tenções nervosas, porque somos nós dirigindo o nosso destino, e nesse momento não existe o impossível, conseguimos tudo e da forma que queremos, e quando menos esperamos, o nosso sonho controlado, pode mudar de rumo,e deixarmos de sonhar acordado, para sonharmos dormindo.
Os sonhos passam agora por uma janela desconhecida, é como se o corpo e o espírito fizessem um acordo de separação momentânea. Os sonhos passam por um arquivo de memória, e muitos arquivos desconhecidos, e quando os sonhos passam em áreas de desconforto, se transformam em pesadelos.
Diminua consideravelmente as agitações do dia a dia, sonhando acordado, e talvez em uma dessas experiências, as respostas de tantas perguntas sejam reveladas.
Mas quando acordarmos do nosso sonho, vamos acordar para a realidade, porque na diferença entre o real e o imaginário, está na mesma proporção da água e o fogo, e se não acordarmos de nosso sonho, as consequências serão drásticas. Os sonhos passam por nós e não são vistos, e as vezes nós passamos por eles e não os vemos, porque os procuramos de olhos fechados, e esse último tipo de sonho, não podemos relaxar, precisamos estar distante da janela da ilusão, e deixar que os nossos sonhos passem pelas janelas da esperança e da realidade, nossos sonhos vão continuar passando, vamos administra-los com os molhos fechados ou abertos, dependendo de nossas escolhas se os queremos sempre sonhos, ou se os substituímos por realizações.

Ass  Maninho.

VIDA E MORTE NO SERTÃO

Falar do passado, é uma das formas mais fáceis para valorizar o presente. Com a evolução constante, olhamos para o passado, e vemos uma dívida impagável com as classes mais pobres, que iguais a bravos guerreiros resistiram ao tempo, e superaram fome e sede esperando por dias melhores, e tal qual as pedras do deserto, ficaram até o fim e não viram esse dia chegar.
Os carrapichos grudados no vestido da dona Ormezinda, e as canelas riscadas pelos espinhos do velame, denunciam a pressa que ela tinha para chegar em casa. Tinha ido a casa de dona Maria pedir um pouco de feijão, se tivesse inverno, quando colhesse pagava. Chegou em casa, foi assoprar o fogão a lenha, para cozinhar o feijão na tradicional panela de barro. Pegando com muito cuidado para não quebrar, só tinha aquela. Depois de grande esforço e quase estourando as veias do pescoço de tanto assoprar, emfim o fogo pegou.
Uma cuia com milho pubo esperava por ela, agora se debruçaria sobre o moinho e ia moer o milho para fazer a mistura do almoço, os filhos chorando com fome, puxavam o vestido já com vários remendos e quebrando a costura de alguns. Dona Ormezinda pacientemente diz: Vão brincar, boto já o almoço de vocês. Mas o choro continua, como é que brinca, com fome. Seu Manoel chegou trazendo um prear, que por infelicidade, procurando alimento caiu em uma armadilha, triste realidade, uns perdem a vida, para que outros continuem vivos. Ao verem seu Manoel com o prear, as crianças esqueceram a fome e começaram a brincar com o bichinho morto, e seu Manoel comentou, a janta está garantida.
Almoçaram feijão com pão de milho, tomaram café torrado junto com semente de manjerioba que era para render mais,o café era adoçado com rapadura salgada, porque não tinham como comprar açúcar ou rapadura doce, já estavam acostumados com a quilo. Seu Manoel pegou um pedaço de fumo de Arapiraca e fez um cigarro enrolado em palha de milho, papelin não podia comprar, tinha de ser com palha de milho mesmo.
Depois do almoço, planos para o futuro: Minha veía, se o inverno for bom, vai ter muito trabalho lá em seu Luiz, aí fim do ano eu vou comprar um vestido novo para você e uma roupinhas para as crianças, se sobrar dinheiro, eu compro umas botas para mim, e a mulher diz, vamos rezar para chover,e pedir que a safra de algodão seja boa, aí seu Luiz chama a gente para apanhar algodão.
É, mas o ano foi seco, e não tinha nem batata de aguapé para comer, mas tinha fruto de cardeiro, juá, e algumas rolinhas caldo de feijão, ou as pobres avuantes mortas de cede.
Pena que um dos filhos não vai ver o ano chegar ao fim do ano, morreu com sarampo. Os vizinhos tentem consolar: É mais um anjo no céu. É, o céu está cheio de anjos enviados por demônios da terra, seres sem consciência, que pegam as verbas enviadas pelo governo, e se beneficia, sem o mínimo de remorso pela a morte do filho de seu Manoel, que faltou apenas uma vacina, e uma alimentação adequada, para que ele pudesse ver vários invernos e ganhar a roupa de fim de ano.

Ass.  Maninho.

LIRAS E IRAS

A lira é um dos instrumaentos mais antigos do mundo, tão antigo quanto a ira, a primeira é uma referência da boa música e de momentos inesquecíveis, a segunda já poderia ter dasaparecido e não faria nenhuma falta.
A lira instrumento dos deuses mitológicos, inspiradora de poemas e paixões, representa a harmonia, e de certa forma é parceira da felicidade, com suas notas musicais que invadem os corações, imortalizando recordações, marcando momentos com a música. E a música com a sua magia, maltrata, consola, e nesse misto de amor e sofrimento, nunca deixará de ser lembrada e amada.
E a ira, presença milenar, e referência destruidora da paz e do amor. Nõ pode deixar de ser lembrada, porque se esquecermos de combater seus efeitos, e se ignorarmos a sua existência, padeceremos com efeito de sua ação, promovendo a discórdia, destribuindo boatos, criando conflitos, e fazendo com que os Romeus e Julietas sejam apenas cenas de cinema.
A lira dos poetas e poetizas, das eternas canções, serestas e luaradas, dos fados, e do romantismo. A cada nota musical, vivemos um momento de amor e reflexão, da pancada de um tambor,ao refinado som de um piano, a lira está presente, porque aqui ela representa a música, e cada instrumento existente na terrra tem seu momento de lirismo.
A ira precisa ser sufocada, ela não gosta de música nem canções, quando alguém canta ou toca, é como se estivesse tirando dela o ar que tanto precisa. Sabendo disso, vamos cantar, tocar, encher o mundo com o amor, e fazer da música e da lira, o nosso instrumento universal para a felicidade, vamos sufocar a ira, com ritmos, com danças, com sons dos mais variáveis possíveis, vamos atordoar a ira, vamos deixa-la enfraquecida, sabemos que nela não desiste, e que não podemos extermina-la, ela é sobrevivente do tempo, mas podemos diminuir e retardar a dor que ela nos causa.
Cante e toque, a lira vai estar em nossos momentos, a músia a uma caixinha de felicidade, quando estamos felizes cantamos, tem uns que vivem para cantar, e outros cantam para viver, talvez a música seja um anjo que a lira enviou para a terra, e talvez a lira seja filha da terra e nossa irmã, e por isso tanto quer a nossa felicidade, por isso, quem canta seus males espanta, o que estamos esperando para começar a cantar? O sambista falou: Canta, canta, minha gente que a vida vai melhorar, filosofia popular e verdadeira. Sabe, a lira e a ira são inimigas, porque a lira gosta de canção, e a ira descobriu que isso faz bem ao coração. Coração, cante com ele, ame com ele, e um dia a felicidade será a musica que tocará em cada coração

Ass.  Maninho.

NO MUNDO DA LEITURA



Aprender a ler, a gente cresce ouvindo esse aviso, ingressamos no colégio e começamos o desafio para aprender a ler. Sendo que para muitas pessoas, ler é cansativo. Mas a leitura é a maior fonte de conhecimento, quer quiser se destacar terá que ler muito, só assim vai adquirir conhecimentos.
O mundo da leitura é encantador, quantas palavras ou frases já transformaram de pessoas, a magia que tem as letras é algo impressionante. Precisamos desenvolver o hábito de ler, já que existem poucas bibliotecas públicas, e pouca divulgação, quanto a importância da leitura, as grandes editoras e livrarias deveriam firmar convênios, no sentido de promoverem o mundo da leitura.
Seria muito bem vindo programas de doações de livros, espaços culturais, convenções, tudo que tivesse como objetivo atrair pessoas e divulgar a leitura. Essa prática de ler, precisa ser implantada no início, em que as crianças assimilam com mais facilidade. Já que vivemos em uma acensão ao mundo virtual, seria interessante o ministério da cultura criar parcerias, e desenvolver programas para pessoas de baixa renda, possibilitando as mesmas acessibilidade ao mundo mágico da leitura.
Graças ao avanço tecnológico, podemos dizer que temos o mundo nas mãos, no que se refere a conhecimentos e informações. O Google e seu fantástico motor de busca, é hoje sem dúvida uma das maiores ferramentas do mundo virtual, procure no Google, e com certeza vai encontrar a resposta. Então se temos se temos essa fabulosa ferramenta, precisamos encontrar meios lógicos para fazer uso da mesma. E isso só será possível, se existir uma possibilidade real, em que os órgãos diretamente responsáveis pela educação, se conscientizarem que precisam destinar a educação verbas que se adequem a realidade.
No mundo da leitura, livros, revistas, jornais, deveriam ser itens de fácil acesso, já que os custos são menores, mas a importância de modernizar a leitura, não podemos esquecer do mundo virtual e sua facilidade, mesmo porque, graças a essa tecnologia, as pessoas conseguem as informações de forma mais precisa, e mais moderna.
Para as pessoas que amam a leitura, podem começar a agir, divulgando, incentivando, presenteando alguém com um livro, uma revista, e de certa forma contribuindo com o mundo da leitura.

Atte.  Maninho.


terça-feira, 23 de dezembro de 2014

BRINCANDO COM FOGO

    Um dos quatro elementos da natureza, e talvez o mais elementar, o fogo. Respeitado e temido pelas suas inúmeras características, o fogo se impõe pela sua predominância de poder incomparável. Quando falamos que alguém está brincando com fogo, é exatamente alertando o perigo iminente para essa pessoa, brincar com fogo, é desafiar o impossível, e ignorar as consequências futuras.
    Essa fonte de calor em sua forma natural, ou representada de forma especial circulante em todos nós. Começamos pelo fogo da vida, essa energia que se multiplica em nós, e que tanto precisamos para vivermos das mais simples, as mais perigosas emoções, entre elas destacando-se as paixões e atrações com suas chamas ardentes e destruidoras.
    O amor tem fogo brando, mas o fogo das atrações queimam de forma descontrolada e devastadora, parece até que cria uma cortina de fumaça que nos impede de ver, e diminui nosso raciocínio, fazendo com que a nossa sensibilidade fique comprometida.
    Esse tipo de fogo, é um tipo brincalhão, se diverte com sentimentos, e pensa que a chama nunca apaga, e quando pensa que está queimando, já está quase apagado, jogaram sobre ele um bloco de gelo, mostrando que existem outros elementos que podem controlar seu ímpeto. Isso acontece em processo lento, quando alguém se julga senhor da situação, e imagina que tem poder absoluto.
    Ignorar que a chama se apaga, e o calor cedeu lugar ao frio, é ignorar que existe o começo e o fim.     No começo deixamos de acompanhar as proporções, o fogo que deveria ser controlado, queimou, destruiu, e foi transformado em cinzas. porque quando ardia, não souberam valorizar o calor, pensando que seria todo dia , e a toda hora, mas nada é para sempre, principalmente o que não sabemos dar valor.
    O fogo, e sua simbologia da fenix e do dragão, mostrando o poder de ressurgir, vencer, determinar valores, e que pode ser dócil ou feroz, e essa grandeza de adaptação também está instalada em cada um de nós. Cada pessoa tem consigo um dragão, a importância de treina-lo de forma correta, faz com que cada dragão possa controlar seu fogo, seja para acender avela que ilumina, ou para queimar fogueiras para fazer brasas. Em brasas ninguém se arrisca em pegar, e as vezes precisamos mostrar que estamos preparados para para marcar nosso espaço e não aceitar invasões.
    Brincando com fogo, é brincando com o amor, o sentimento, as emoções, um dia, quando menos se espera, vem a chuva e apaga o fogo, e se a chuva tiver o sal das lágrimas, fará frio por muito tempo, e  as manhãs serão frias, para que nem o sol traga lembranças, de um fogo que existiu um dia.

Ass.  Maninho.